Crítica: The OA - 1ª Temporada

"Prairie Johnson é uma garotinha cega que desaparece. Sete anos depois, ela retorna, com a visão perfeita. A jovem (Brit Marling) tenta explicar aos pais o que aconteceu durante a sua ausência. Para a surpresa de todos, ela diz que nunca realmente se foi, mas estava em outro plano da existência... Num lugar invisível."

The OA é uma série diferente de tudo que vinha sido feito de original pela Netflix, é uma incrível mistura de drama, suspense, mistério e fantasia que mesmo com algumas pequenas falhas, é uma obra incrível.
Para ver essa série, recomendo que saiba o menos possível sobre ela. Então darei o menor número possível de spoilers.
O roteiro da série é muito bom, os diálogos são bem escritos, não há muitos clichês. E gostei muito de todos os personagens. Só acho que a série tem um pouco de problema em estabelecer o tom da história, o tom do piloto é diferente do restante, não da indícios de que a história tenha elementos de fantasia por exemplo. Aliás, o piloto em si é muito fraco.


Mas a partir do segundo episódio, a série entra num ritmo mais energizante e imersivo que principalmente para aqueles que maratonaram a série, quase não percebe-se a passagem de um episódio para outro, um pouco semelhante com a experiência de assistir Stranger Things.

Eu gostei muito do elenco, todos são competentes, mas infelizmente a história não da tanta oportunidade para os personagens secundários se destacarem. O maior destaque com certeza está com a protagonista interpretada por Brit Marling. Brit conseguiu conduzir uma personagem que mesmo nos momentos de fraqueza possui uma força, que é esquisita mas incrivelmente carismática. Outro que se destacou é Emory Cohen, que me surpreendeu muito, pois baseado em suas primeiras cenas, não achei que seria uma boa atuação, mas no momento certo ele demonstrou um incrível talento para passar quantidades bem dosadas de carisma, aflição, e drama. Jason Isaacs também fez um trabalho excepcional, é incrível que mesmo nos momentos em que ele toma terríveis atitudes, o espectador ainda se sente tentado a tentar gostar dele. É provavelmente o ator mais conhecido do elenco, você talvez o conheça por interpretar Lúcio Malfoy em Harry Potter. O restante do elenco não possui muito destaque, mas mesmo assim estão todos praticamente impecáveis.



Eu adorei a fotografia da série. Tem uma paleta de cores muito definida que não se altera muito ao longo dos episódios, tons de lilás e roxo estão por toda parte. Inclusive acho que isso é um dos maiores acertos da série, o visual. É magnífico e esplendoroso quando deve ser, importuno quando necessário, e também aconchegante em alguns momentos. No início da série, também se usa uns enquadramentos diferentes típicos de smartphones e de câmeras amadoras.
Acho que o problema da série está em não desenvolver tanto seus personagens secundários e deixar mais dúvidas do que respostas, não fica claro se é mesmo uma série de fantasia ou apenas um drama com elementos fantásticos, o que é ruim pra uma história contada nesse formato.

The OA é uma história diferente, ousada, empolgante e com uma mensagem magnífica. Possui alguns problemas mas não deixa de ser mais um grande acerto da Netflix.



Gustavo Matheus

11 comentários:

  1. Nossa!
    Quando vi a série no catalogo da Netflix não dei muita bola. Mas como gosto de coisas sobrenaturais quem sabe eu dê uma chance a ela... Se bem que minha lista não para de crescer, acho que nunca vou ter tempo de terminar todas as séries que comecei. hahaha

    http://vicioseliteratura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Sempre quando entro na netflix me da uma vontadezinha de começar a assistir ela, mas nunca dei muita bola, apesar de ouvir muita gente falando bem da série. Agora eu estou vendo Desventuras em série, falto 3 eps, quando terminar já vou assistir The OA, fiquei encantada agora!

    A Garota dos Teus Olhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mesmo com as enormes dúvidas, vale muito a pena ver. Espero que goste :)

      Excluir
  3. Coisas sobrenaturais e de ficçao não são para mim mas gostei do post 😉

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, só resta saber se essa série é mesmo sobrenatural ;)

      Excluir
  4. Olá!
    Confesso que não sou muito fã de séries, mas desde que li "Minha vida fora de série" da Paula Pimenta e ela comenta sobre várias delas, inclusive a que você resenhou, acabei ficando curiosa e pretendo começar a assistir em breve.

    Beijos, ótimo post.

    http://albumdeleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Olá, tudo bem? Não conhecia a série, mas me pareceu ser bem interessante. Adorei saber sua opinião!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  6. Oi, Gustavo!
    Estou louca pra ver essa série, mas como eu respiro Netflix, ainda quero terminar todas as mil temporadas que estou assistindo atualmente pra poder engatar em uma série nova, haha.
    Adorei sua crítica. Do jeito que sou impressionada e AMO fotografias maravilhosas com paleta de cores bem definidas, tenho certeza que vou amar! <3
    Bjocas,

    www.umdiamelivro.com.br
    www.youtube.com/literamigas4

    ResponderExcluir