• Início
  • Resenhas
  • Críticas
  • Autores Parceiros
  • Vídeos
  • Contato
  • Resenha: Batman - Criaturas da Noite

    As criaturas da noite estão caçando a elite de Gotham. Bruce Wayne é o seu novo alvo.
    Bruce Wayne está prestes a completar 18 anos e herdar a fortuna de sua família, além do controle das indústrias Wayne. No entanto, no dia do seu aniversário, ele faz uma escolha impulsiva e é condenado a prestar serviço comunitário no Asilo Arkham, uma mescla de prisão e hospital psiquiátrico onde estão detidos os criminosos mais desequilibrados da cidade.
    Lá ele conhece Madeleine, integrante das Criaturas da Noite, um grupo radical que deseja acabar com a elite de Gotham. Até então, a moça se recusava a confessar seus crimes ou informar à polícia os futuros ataques que planejavam, mas ela resolve se abrir para Bruce Wayne, dando início a um perigoso jogo de sedução e inteligência.
    Será que o jovem Wayne vai conseguir convencê-la a revelar todos os seus segredos ou ela está apenas manipulando-o para arruinar Gotham? Enquanto o golpe final das Criaturas da Noite se aproxima, Bruce percebe que não é tão diferente de Madeleine. E, mesmo longe de se tornar o Cavaleiro das Trevas, precisará provar que está preparado para deter uma das maiores ameaças que Gotham já presenciou.

    Eu sempre gostei de filmes e séries de super-heróis, mas ter contato com livros e HQs pra mim é novidade. Particularmente sempre achei o Batman fascinante, ele tem um lado misterioso e que não mostra pra muitos e estava muito curiosa para saber como isso seria desenvolvido no livro, principalmente por se tratar do Bruce Wayne, com 18 anos e que ainda estava longe de se tornar o morcego de Gotham.

    Em "Batman-Criaturas da Noite" conhecemos um pouco mais o jovem Bruce Wayne, como era a vida dele quando tinha 18 anos e como ele superou a morte de seus pais. Ele é um jovem que busca ser o filho que seus pais desejariam, fazendo caridade como a sua mãe e participando da empresa como seu pai. Mesmo jovem, é muito inteligente e sabe se impor nas situações necessárias, não levando desaforo pra casa, mas ao mesmo tempo é reservado e só se abre para seus dois melhores amigos e seu tutor. 

    Porém sua vida calma é abalada quando acidentalmente entra em uma perseguição atrás de um ladrão e com isso é obrigado a prestar serviço comunitário no Asilo Arkham, um lugar onde os piores criminosos estão presos, inclusive a recém- capturada que faz parte do grupo Criaturas da Noite, um equipe que tem como meta matar e roubar os mais ricos de Gotham e isso inclui Bruce Wayne.

                            "- Para alguém que tem tudo, há trevas em seu coração."

    Se fosse necessário escolher apenas uma palavra para o livro seria fascínio, eu nunca tinha me aprofundado tanto na historia de um super herói  e gostei muito do que encontrei. A autora conseguiu penetrar na mente de um personagem que muitos acham sombrio e fechado e acertou em cada detalhe na historia, juntando tudo o que eu vi do personagem nos filmes, série e HQs eu consigo muitas informações a respeito da personalidade  e historia do herói. 

    A historia dos vilões é de certa forma coerente, eles tem uma historia que condiz com o objetivo deles, pelo menos de alguns, e apesar de serem vilões eu consegui ver a humanidade na Madeleine, que é a que o Bruce mais tem contato. Ela tem seus segredos, cicatrizes e sua cota de maldade, mas mesmo assim é possivel enxergar um lado bom nela.

    O livro é bem pequeno, então a leitura fluiu muito rápido e eu me deliciei com a leitura do livro. Como disse anteriormente a autora conduziu com maestria a historia, eu consegui ler o livro em uma só sentada, apesar dele ter uma certa carga dramática. A parte física do livro está linda, em cada inicio de capitulo temos a imagem do Batman, as folhas são amareladas, de uma textura bem delicada e as letras estão de um tamanho bom pra leitura. 



    Resenha: Em Pedaços

    Nessa recontagem moderna de a Bela e a Fera, Lauren Layne nos traz uma história irresistível de perdão, cura e, acima de tudo, amor.
    Aos 22 anos, Olivia Middleton tem Nova York aos seus pés. Por fora, ela é a garota perfeita — linda, inteligente e caridosa. Mas por dentro ela guarda um segredo terrível: um erro que a afastou das duas únicas pessoas que realmente importavam na sua vida. Determinada a esquecer o passado, ela deixa Manhattan e vai trabalhar como cuidadora de um soldado recémchegado da guerra.
    Mas o que ela não esperava era que seu paciente fosse um jovem enigmático de 24 anos tão amargurado quanto cativante.
    Paul Landon está furioso — com o mundo, com a vida, com o seu pai e, acima de tudo, consigo mesmo. Depois de sofrer na pele os horrores da guerra do Afeganistão, a última coisa que ele quer é a companhia de uma princesa novaiorquina linda, mimada e irritante.
    A presença de Olivia parece tóxica para Paul, mas ele não consegue afastála, mesmo tentando muito. Por mais que lutem contra uma atração intoxicante, Paul e Olivia não conseguem se manter distantes. Agora, precisam decidir: eles vão ajudar um ao outro a curar as feridas do passado ou vão se manter, para sempre, em pedaços? CONTEÚDO ADULTO.

    Eu fiquei muito tempo afastada do blog e do mundo literário, a vida esta corrida e eu acabei desanimando um pouco, mas espero que esse sentimento não dure muito ou se repita, porque eu simplesmente amo isso aqui. E fico muito feliz de ter tido um tempinho (madrugada cof cof) para conseguir ler esse livro incrível que é o "Em Pedaços" e trazer resenha pra vocês.

    No livro conhecemos dois personagens com vidas muito diferentes, mas que ao mesmo tempo estão passando por situações complicadas e conflitos interiores. Olivia precisa dar um tempo de tudo e todos que conhece, ela cometeu um erro que levou pra longe duas das pessoas que ela mais amou em toda a vida e acredita com todas as forças que precisa de penitencia, então decide largar a faculdade de administrações no ultimo ano para virar cuidadora de um veterano de guerra. Ela acredita com todas as forças que vai encontrar um velho ranzinza e babão e que essa vai ser a vida dela agora em diante, e fica muito surpresa ao encontrar um homem apenas dois anos mais velho que ela, mas que já viu e sofreu mais coisas do que ela pode imaginar, e as cicatrizes em sua pele são a prova disso. Podem duas pessoas com temperamentos tão diferentes podem se entenderem e juntos espantarem os fantasmas de seus passados?  

    Resenha: O Voo da Vespa

    Freya é o nome da deusa nórdica do amor. Também é o codinome da mais recente invenção nazista, de acordo com uma mensagem interceptada pelas forças aliadas. A inteligência britânica desconfia que é graças a ela que os alemães estão conseguindo abater os bombardeiros ingleses a uma velocidade tão alarmante. Hermia Mount, uma analista do MI6, é recrutada para ajudar a descobrir qual é essa nova arma. Tendo morado a vida inteira na Dinamarca, ela possui contatos valiosos que poderão auxiliá-la em sua missão. Do outro lado do mar do Norte, numa ilha dinamarquesa ocupada pelos alemães, o estudante Harald Olufsen descobre uma instalação estranha dentro da base militar nazista. Ele não sabe o que é, mas não se parece com nada que já tenha visto, e ele precisa contar para alguém. Em Copenhague, o detetive Peter Flemming colabora com os alemães para desvendar quem está repassando informações de dentro do país nórdico para os aliados britânicos. Numa Europa praticamente dominada pela Alemanha, a vida dessas três pessoas se entrelaça de forma irreversível, e quando um decrépito avião bimotor se transforma no único meio de fazer a verdade chegar até as forças aliadas, o destino delas poderá mudar o rumo da guerra - e da história

    O voo da vespa é uma história ambientada na Segunda Guerra mundial, e como o próprio livro diz em suas primeiras páginas “Parte do que se segue realmente aconteceu”. E por se tratar de fatos reais, a quantidade de personagens que compõe a história pode ser um problema de início, cada um tem seu papel importante para os fatos e lembrar de cada um fica meio complicado. 

    Nesse livro, vemos o tema da segunda guerra vista longe dos campos de batalha. O foco é a espionagem e como pessoas da inteligência trabalhavam para estar sempre um passo a frente do inimigo, ou como uma arma secreta poderia ser a peça chave para um desfecho. Que é o caso de Freya, codinome dado para a arma secreta nazista contra-ataques aéreos. 

    Como dito, há muitos personagens, mas todos são muito bem representados e humanizados. Um bom exemplo é o detetive Peter Flemming, que ora me cativava com seu senso de justiça ora me irritava em certas decisões. E tambem Hermia Mount, que é uma espiã de um grupo chamado Vigilantes Noturnos. O modo como Hermia se porta, mesmo sendo da década de 40, nos faz refleti bastante sobre o quanto inteligência e determinação de nada valia se você for uma mulher em épocas como essa. 

    Resenha: Outlander- A Viajante do Tempo

    Em 1945, no final da Segunda Guerra Mundial, a enfermeira Claire Randall volta para os braços do marido, com quem desfruta uma segunda lua de mel em Inverness, nas Ilhas Britânicas. Durante a viagem, ela é atraída para um antigo círculo de pedras, no qual testemunha rituais misteriosos. Dias depois, quando resolve retornar ao local, algo inexplicável acontece: de repente se vê no ano de 1743, numa Escócia violenta e dominada por clãs guerreiros.
    Tão logo percebe que foi arrastada para o passado por forças que não compreende, Claire precisa enfrentar intrigas e perigos que podem ameaçar a sua vida e partir o seu coração. Ao conhecer Jamie, um jovem guerreiro das Terras Altas, sente-se cada vez mais dividida entre a fidelidade ao marido e o desejo pelo escocês. Será ela capaz de resistir a uma paixão arrebatadora e regressar ao presente?

    Após longos ano afastados pela guerra, Claire e Frank Randall decidem sair em uma segunda lua de mel, em busca de tentarem se aproximarem novamente. Claire é uma personagem forte e bastante decidida e que demonstra amar muito seu marido. E se vê perdida na súbita monotonia após voltar das campanhas nos campos da guerra. 

    Enquanto seu marido Frank, que é um historiador viciado em desenterrar acontecimentos, passa um bom tempo com um reverendo da região, Claire então decide começar um novo hobbie com ervas. E é nessa procura por plantas medicinais que a nossa personagem encontra um círculo de pedra na colina de Craigh na Dun e acaba voltando no tempo, mais exatamente na Escócia de 1743. 

    E a partir desse ponto em diante a história é totalmente eletrizante e super fluida, a autora consegue misturar fatos históricos com fictícios com maestria, prendendo na leitura, que apesar de ter mais de 800 páginas, vai acontecendo de forma rápida e bem desenvolvida. 

    Folia Literária




    Carnaval é tempo de festa e de... sorteio! O Natal Literário foi um sucesso tão grande que resolvemos repetir a dose, agora com um sorteio de Carnaval. A gente faz com muito carinho e dedicação para que vocês, leitores queridos, tenham sempre oportunidade de concorrer a kits maravilhosos! Acho que sorteios comemorativos vão virar uma tradição nossa e quem sabe não vem também um sorteio de Páscoa por aí...