Crítica: Sing Street

"Conor encontra um raio de esperança em sua vida monótona quando conhece a misteriosa Raphina. A fim de ganhar seu coração, ele a convida para estrelar o vídeo musical de sua banda. Há apenas um problema: ele ainda não faz parte dela."

Sing Street é um filme que fiquei sabendo bem por acaso enquanto estava olhando o catálogo da Netflix. E depois de ver eu realmente gostaria de saber porque quase ninguém está falando dele. Além de ser um filme maravilhoso, está concorrendo ao globo de ouro na categoria de melhor filme musical/comédia.
E realmente merece estar indicado. O filme é dirigido por John Carney, ele dirigiu "Mesmo se Nada Der Certo", que também é um filme de música e também muito bom. Ele sabe muito bem trabalhar com a música, sempre nos momentos certos, além de se demonstrar um bom diretor para videoclipes.
E o roteiro desse filme também acertou em cheio com os personagens. Conor é um garoto tímido, que vive em um ambiente familiar monótono, onde poucos parecem se importar como ele se sente, e onde há brigas. E o ator Ferdia Walsh-Peelo, soube atuar muito bem, especialmente falando do desenvolvimento do personagem, sempre tendo um bom controle, não havendo excessos. Raphina, é uma moça decidida, confiante, e que sonha em ser modelo. E ela é uma das melhores coisas do filme, especialmente a maneira como se desenvolve sua relação com Conor, é muito natural, é fácil de acreditar na química entre eles.


A família de Conor também tem um desenvolvimento interessante, especialmente seu irmão, interpretado por Jack Reynor, sua relação com Conor também é uma das melhores coisas do filme, especialmente pelo fato de no começo do filme praticamente não haver nenhuma relação entre os dois.


O filme só falha é com o outros integrantes da banda, que não tem quase nenhum desenvolvimento, já que o foco era Raphina, Conor, e sua família.


A história se passa nos anos 80, e tanto a fotografia quanto os cenários e figurinos retratam muito bem isso. Possui um visual diferente mas ao mesmo tempo muito familiar.
E não posso deixar de falar das músicas, que são muito boas. Principalmente levando em conta que a própria música se desenvolve ao longo do filme. Conor forma a banda da noite para o dia e depois de práticas e ensaios, o filme entrega uma das melhores trilhas sonoras que já ouvi. E inclusive já está disponível no Spotify.

https://open.spotify.com/album/5GudCwtzhNLH4K9juCxnMi








Sing Street é um excelente filme, com ótimas músicas e que merece ser divulgado. Se você viu, deixe sua opinião, se não, vale muito a pena conferir!


Gustavo Matheus

Nenhum comentário:

Postar um comentário