Crítica: 3% - 1ª temporada

"Em um futuro pós-apocalíptico não muito distante, o planeta é um lugar devastado. O Continente é uma região do Brasil miserável, decadente e escassa de recursos. Aos 20 anos de idade, todo cidadão recebe a chance de passar pelo Processo, uma rigorosa seleção de provas físicas, morais e psicológicas que oferece a chance de ascender ao Mar Alto, uma região onde tudo é abundante e as oportunidades de vida são extensas. Entretanto, somente 3% dos inscritos chegarão até lá."
3% é a primeira série totalmente brasileira e original Netflix. O projeto já existe faz tempo, inclusive já havia um piloto da série postado no Youtube.
Eu gostei muito dos personagens, são bons, conseguem prender o espectador. Fiquei muito feliz de ver que a maioria deles possui uma profundidade, são poucos personagens rasos, há uma história por trás das atitudes e das personalidades.


Vou começar falando da produção. Que infelizmente me decepcionou muito, os cenários são simples, não tem aquela preocupação que outras séries tem, além de que não acho que o cenário representa bem a proposta. A série se passa no futuro, porém com exceção de alguns equipamentos usados pelos personagens. O futuro não é refletido nas cores, na arquitetura. As instalações onde acontece o Processo por exemplo se parecem com lugares comuns dos dias atuais.

Os figurinos também ousam muito pouco. Há alguns figurinos interessantes e mais ousados mas a maioria não acrescenta nada. E aproveitando que estou falando de cores, a fotografia também não é muito ousada. Não há uma grande diferença entre o ambiente onde 97% da população vive e as instalações do Processo. É até estranho porque no piloto que tem no Youtube, a fotografia é bem cinzenta e da um clima bem mais pesado, enquanto a série é toda colorida. Tudo bem que o Processo representa uma forma de esperança para alguns e portanto uma coisa colorida é mais convidativa, porém tudo é tão iluminado e colorido que não parece um Processo difícil, não há aquela sensação pesada de ameaça, injustiça que tanto sentimos em filmes como Jogos Vorazes.
Acontece algo parecido na história em relação a chamada "Resistência", em vários momentos da trama, um personagem se refere a Resistência como uma ameaça ao Processo e ao Mar Alto, porém essa ameaça não é sentida pelo espectador. As cenas que envolvem a Resistência apenas mostram um grupo de pessoas que se reúnem e tramam algo que é pouco explicado e vez ou outra ocorrem assassinatos, não há grande indicadores de uma guerra entre a Resistência e o sistema.

A discussão política feita na série é bem interessante, poderia ter sido mais intensa, mas ainda assim é bem feita. Achei legal como as injustiças do sistema afeta cada personagem de uma maneira diferente.


O elenco é muito bom, achei legal ver durante entrevistas que eles criaram um tipo de união que acaba se refletindo um pouco na química entre alguns personagens na tela. Bianca Comparato está muito bem como Michele, mas acho que ainda podia ter sido melhor, algumas cenas dela, especialmente as do início são muito boas e mostram que a atriz tem muito potencial, mas no decorrer da narrativa, tem algumas outras cenas que parecem ter sido meio que no "modo automático", mas no geral foi uma ótima atuação. João Miguel está ótimo como Ezequiel, acho que os poucos defeitos que tenham talvez sejam erros na construção do personagem, porque senti que ele realmente encarnou o personagem. Gostei muito de Michel Gomes como Fernando, só não gostei do desenvolvimento do personagem, acho que ele muda de opinião em relação ao processo de forma muito repentina. Rodolfo Valente interpreta Rafael, e achei seu personagem interessante e o ator da o seu melhor com o material que tem.
Vaneza Oliveira vive Joana, é uma das melhores personagens da série. Mas acho que ela podia ter sido ainda mais intensa em algumas cenas, mas no geral seu trabalho foi excelente. Gostei muito de Viviane Porto como Aline, ela deu um toque fino e até mesmo sensual para a personagem, e soube muito bem transmitir a ameaça que ela representava para os interesses de Ezequiel. Mel Fronckowiak entregou o que acabou se tornando minha personagem preferida na série. Julia tem um arco dramático muito interessante que acaba influenciando na história de outros personagens. E Mel mandou muito bem no papel, cenas intensas, e bem dramáticas.

Eu gostei da trilha sonora. Não é muito marcante, mas consegue desempenhar um bom papel e acaba sendo bem melhor que a maioria das produções nacionais.

3% é uma série problemática, que tem um potencial enorme, mas que deixa um pouco a desejar. Mesmo assim é muito boa de assistir, e acaba sendo muito importante pro desenvolvimento de mais produções nacionais diferenciadas.


Gustavo Matheus

9 comentários:

  1. 3% parece não agradar parte do público. Fiquei feliz quando foi anunciada como primeira série brasileira original da Netflix, mas diante de tantas críticas negativas na época da estreia , ainda me deixam receoso em assistir a série.

    Att,
    C, José
    Blog Combo Pop

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 3% tem muitos problemas mesmo. Mas acredito que a vale a pena assistir. Os personagens são muito bons.

      Excluir
  2. Oi Gustavo, nossa uma série brasileira no Netflix AMEI!!! Uma pena o cenário não atender as expectativas ou não ter recebido a devida atenção da produção, se bem que às vezes isso acontece por falta de grana mesmo, mas... Sem falar que na sua análise existem alguns outros pontos bastante críticos, vou assistir para me inteirar melhor.

    Bjo
    Tânia Bueno / Faces da Leitura

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim. Mas acho que só pelo fato de ser uma produção brasileira da Netflix, vale a pena dar uma chance. Mesmo com todos os problemas, a história é bem legal. :)

      Excluir
  3. Na época do lançamento a divulgação me interessou muito. Fiquei super empolgada quando soube que seria uma série brasileira num universo distópico, mas ainda não tive a oportunidade de assistir porque parei de assinar Netflix -_-
    É ótimo quando a gente vê a opinião de outra pessoa para analisar se compensa assistir ou não. Sua resenha foi bem útil para mim, porque não tinha lido nenhuma opinião da série até agora =)

    ResponderExcluir
  4. Eu ando vendo muitas opniões sobre essa série por aí e estou muito afim de assistir. Adorei sua resenha, deu opniões sinceras sobre a série toda. Já quero mtt assistir!

    www.memoriasdeumaleitora.com.br

    ResponderExcluir
  5. Já vi algumas opiniões sobre a série elogiando um monte e mesmo não sendo meu estilo me deu uma curiosidade em ver...
    Ler sua crítica me fez pensar que muitas das outras que li não levou vários pontos em consideração - como a fotografia, as locações e até mesmo a resistência que tem que ser sentida e não apenas falada. Os pontos que você levantou são super importantes e me fazem pensar duas vezes antes de assistir a série.
    É bom ver produções nacionais ganhando destaque, mas penso que elas devem ser bem pensadas e bem executadas para realmente ganhar o espaço que merece...
    Beijinhos,
    Lica
    Amores e Livros

    ResponderExcluir
  6. Só vi comentarios positivos antes disso e sempre tive vontade de assistir (oh, eu não consigo acompanhar séries, sos).

    ResponderExcluir
  7. Olá, Gustavo!

    Eu assiste só o capitulo Piloto da serie e me interessei bastante. A atuação dos atores e a química quando estão atuando é impressionante. Não continuei a assistir, porque estou vendo Once Upon a Time e costumo terminar uma serie para depois ver outra.
    Sua dicas e criticas estão excelentes.

    Beijos
    Bella
    The House of Stories

    ResponderExcluir