Entrevista: Cláudia Sobreira Lemes

Olá pessoal, tudo bem?
Fico feliz em constatar que não faz tanto tempo desde que eu postei a ultima entrevista, então devo estar melhorando, certo? Enfim, hoje eu tenho a honra e o prazer de trazer uma entrevista com uma das minhas autoras favoritas. Foi ela quem escreveu Eu Vejo Kate que foi uma das minha melhores leituras de 2015 e Um Martíni com o Diabo, que atualmente é um de meus livros favoritos. 




1- Se apresente, fale um pouco sobre você. 

Sou a Claúdia, escritora, professora e tradutora, sou casada e tenho três filhos, e moro em Santos, SP. Comecei minha carreira 3 anos atrás como autora independente e hoje publico meus livros pela editora Empíreo. O primeiro deles foi Eu Vejo Kate, que foi um sucesso de crítica e público e já está indo para sua segunda tiragem. O segundo foi Um Martíni com o Diabo, publicado em Novembro do ano passado. 


2- Nos conte um pouco sobre seus livros. 

Escrevo literatura de entretenimento, com o único objetivo de mexer com meus leitores. Minha abordagem já foi chamada de subversiva muitas vezes, porque minha meta é sempre explorar o lado mais escuro das minhas personagens. Eu Vejo Kate é um thriller policial sobre assassinos em série, nascido de mais de dez anos de pesquisa na área, e com o objetivo de escrever sobre serial killers sem romantização. A abordagem realista deles me rendeu elogios da grande criminóloga brasileira Ilana Casoy, e tenho muito orgulho da obra. Já Um Martíni com o Diabo é um livro de estilo noir que conta a história de um rapaz que se infiltra na máfia numa jornada de vingança e vê todas as suas convicções sendo abaladas. É um livro que também explora os conflitos internos de homens e mulheres em situações extremas, e as resenhas têm sido muito entusiasmadas até agora. Procuro ser honesta com o leitor ao não me recusar a tocar em tabus. Meu estilo é direto, foca em questões como violência e sexualidade, e definitivamente não é para quem tem estômago fraco ou muito pudor. 


3- Quais são seus hobbies? O que gosta de fazer em seu tempo livre? 

Olha, eu tento ler o máximo que consigo, é a única coisa que eu realmente me esforço para fazer, é meu prazer supremo, é o que me relaxa, o que me conecta comigo. Minha rotina é muito puxada, cuidando de duas crianças, um bebê, cuidando do meu marketing nas redes sociais, escrevendo, trabalhando dentro e fora de casa...então quando pinta uma horinha aqui e outra ali, deixo tudo em segundo plano e leio. 


4- Você foi uma criança que gostou de ler? Teve incentivo? 

Sim, sou filha de professora de literatura e cresci numa casa cheia de livros. Ler para mim sempre foi como dormir, comer, tomar banho. Desde que aprendi a ler me dediquei aos livros. 


5- Tem um gênero literário favorito? 

Sempre li de tudo. Aqui em casa tem realmente todos os gêneros, desde biografias, romances históricos, poesia, suspense, terror, erótico...mas sinto uma atração especial por clássicos e policiais. 


6- Se pudesse escrever um livro em parceria com alguma autora ou autor, qual séria? 

Paula Febbe ou Ilana Casoy. 


7- Se pudesse escolher qualquer pessoa no mundo para jantar com você por uma noite, quem escolheria? 

Uau, adorei essa pergunta, nunca me perguntam isso. Tem muita gente que admiro e adoraria conversar e aprender um pouco, como Frank McCourt, Stephen King, James Ellroy, Chimamanda Ngozi...mas de um jeito mais sacana queria jantar com o ator Sam Elliott só para ficar ouvindo a voz dele. 


8- O que te inspira? 

Tudo, desde um inseto na parede até um documentário na TV. 


9- Tem algum personagem ou casal literário favorito? 

Eu sou apaixonada pelos meus, são como filhos. Tenho um carinho especial por todos. De outros autores, gosto muito do Atticus Finch, de O Sol é Para Todos. Não tenho um casal literário favorito, mas o casamento de Lisey e Scott no livro Love, do King, é um casal que me tocou por ser tão real. 


10- Deixe um recado para seus leitores. 

Leiam nacionais! E acima de tudo, sejam justos com livros nacionais. Vejo muitas vezes que um livro nacional precisa ser perfeito e agradar todos os leitores em níveis muito pessoais para serem admirados, enquanto os estrangeiros se safam com erros e furos grotescos. Leiam nacionais como leem os best-sellers estrangeiros. Nossa literatura é ótima, só precisa de incentivo.



Skoob
Kate é uma escritora imersa na produção da biografia do assassino em série Nathan Bardel. Enquanto ela mergulha de cabeça na sombria vida do serial killer, ele próprio passa a acompanhá-la vivenciando as experiências conturbadas de sua biógrafa. À medida que se aprofunda nos mistérios de Bardel, Kate desperta outro assassino. Ela não sabe, mas sua vida corre perigo.Desde que Kate decidiu escrever a história de sua vida e de seus assassinatos, Nathan Bardel percebeu que mesmo depois de morto, poderia acompanhá-la. Ele vê Kate. Ele lê Kate. Ele a decifra enquanto ela o investiga. Quando Nathan descobre que um novo assassino está imitando seu método e assassinatos, fica furioso. Aquilo tudo lhe pertencia, foi sua criança e ninguém estava a altura de copiá-lo. Agora ele tem uma nova meta: encontrar o imitador. Um agente especial do FBI que tem a capacidade de observar a cena de um crime e definir o perfil do criminoso, Ryan é um dos melhores profilers do país. Mas toda sua experiência será colocada à prova na busca pelo serial killer que não deixa pistas. Expert em Bardel, e envolvido com Kate, o detetive com um passado sombrio se vê mais uma vez numa investigação que pode terminar de forma trágica.


Skoob




O jovem Charlie Walsh está em Las Vegas. Não para tentar a sorte, e sim para matar seu pai, um chefe da máfia italiana, Tony Conicci.
O plano era infiltrar-se no restrito grupo de confiança da família Conicci e se aproximar do chefão, mas Las Vegas corrompe. E o desejo de vingança de Charlie é posto em prova quando ele se vê seduzido pelas amizades, o poder, drogas e dinheiro que a máfia oferece.
Com o FBI em sua cola, e secretamente apaixonado pela enigmática esposa do pai, ele precisará decidir onde apostar sua lealdade.









Espero que todos tenham gostado e não deixem de acompanhar a pagina da Cláudia e da Editora Empíreo, pois sempre tem novidades em ambas.

Um grande abraço e até a próxima.

11 comentários:

  1. Aaaaaah!!! Que entrevisa linda!!!! Eu vejo Kate está na minha wishlist desde o ano passado. Tenho uma queda por essa pegada sombria e a autora me parece ser especialista no assunto! Adorei saber mais sobre ela!
    Parabéns, sua entrevista ficou super bacana!

    Bjooos
    https://passageirodasletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá, Giovana.
    Eu já conhecia Eu Vejo Kate, tenho grande vontade de ler esse livro, é no estilo que eu gosto.
    Adorei as perguntas e as respostas da autora, a entrevista ficou ótima!
    Concordo com a mensagem dela a respeito dos livros nacionais!

    ResponderExcluir
  3. Oi, tudo bem?
    Não conhecia a autora e nem suas obras, mas gostei tanto da entrevista que vou procurar por eles depois disso. Fora que as capas dos livros dela são lindas.
    Parabéns pela entrevista.

    ResponderExcluir
  4. Nossa, que incrível! Adorei a entrevista e já me interessei pelas obras da autora! Muito legal!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Primeiro, achei liindo o layout do seu blog, parabéns!
    Amei a entrevista também! Eu já conhecia esse livro da autora e adorei conhecer mais sobre ela também!

    Beijos

    ooutroladodaraposa.com.br

    ResponderExcluir
  6. eu adorei toda a entrevista, já conheço a autora e aprecio a escrita dela, mas o final da entrevista, foi o melhor "Leiam nacionais! E acima de tudo, sejam justos com livros nacionais. Vejo muitas vezes que um livro nacional precisa ser perfeito e agradar todos os leitores em níveis muito pessoais para serem admirados, enquanto os estrangeiros se safam com erros e furos grotescos. Leiam nacionais como leem os best-sellers estrangeiros. Nossa literatura é ótima, só precisa de incentivo." Disse exatamente o que penso e como deveria ser. Espero que muitas pessoas leiam essa entrevista. aliás, vou divulgar na fanpage Mulheres na literatura.

    ResponderExcluir
  7. Aaaaah que delicia conhecer autores novos. Eu não conhecia essa autora e amei a entrevista! Os livros me conquistaram muito, falam de temas que eu amo e eu achei as capas muito lindas e chamativas, amei!

    MEMÓRIAS DE UMA LEITORA

    ResponderExcluir
  8. Oi Gionava.

    Adorei a entrevista que você fez com a Cláudia. Principalmente ela pedindo para ler livros nacionais. Tenho vontade de conhece os livros dela, principalmente o livro Eu te vejo Kate. Eu já li algumas resenha bem positivas dele. Parabéns pela entrevista.

    Bjos

    ResponderExcluir
  9. Oi! Não conhecia a autora e fiquei maravilhada com ela *-*
    Fã do King, gosta do Atticus Finch... Que fofa!
    Adorei a entrevista!
    Beijo :*

    ResponderExcluir
  10. Oiee Giovana ^^
    "Eu vejo Kate" eu já tinha visto antes, e acho que cheguei a ler algumas resenhas sobre ele também. Mas o outro livro eu não me lembro de ter encontrado antes. Não são meus gêneros favoritos, mas eu ando querendo mudar um pouco, então quem sabe, né? haha' nossa, se eu pudesse escolher alguém para jantar comigo...haha' nem sei quem seria, mas acho que escolheria um ator ou atriz, assim como a Claudia *-*
    MilkMilks ♥

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    Eu amei a entrevista. A escritora parece ser bem simpática e fiquei curiosa para conhecer os seus livros. Eu já tinha ouvido falar do livro Um Martini com o Diabo e as críticas são bem boas. Assim que puder quero ler.
    Parabéns pela entrevista.
    Beijinhos!

    ResponderExcluir