• Início
  • Resenhas
  • Críticas
  • Autores Parceiros
  • Vídeos
  • Contato
  • Resenha: Espelho dos Olhos

    Olá pessoal, tudo bem?
    Hoje eu venho trazer a resenha de um livro que me surpreendeu bastante.


    E, se por causa de uma revelação, sua vida mudasse? E, se por causa de ser quem você é, as pessoas te julgassem sem ter conhecimento algum? Revelar-se, às vezes, pode não ser uma boa ideia. Mas é preciso.
    Enquanto Evangellyne Allins tenta sobreviver a uma Escola tirana, num país onde cores de olho, Elites e Classes de Talento são o que importa, a vida de seu querido pai está em tremendo risco. Esse foi o preço de sua manifestação.

    Será que valerá a pena enfrentar todos os seus reflexos mais profundos e íntimos pela pessoa mais amada?
    Tortura. Medo. Aversão. Evangellyne será forçada a descobrir-se quer queira quer não. Ela será obrigada a arcar com as consequências desoladoras de sua manifestação; e seu interno, o estado Espelho dos Olhos, a transformará inconscientemente.



    Eu admito que ultimamente tenho ficado bem desapontada com algumas distopias que li, a maioria sempre seguia por um mesmo caminho, e a historia acabava ficando clichê. Então, foi por isso que me surpreendi com esse livro, o autor conseguiu nos apresentar uma historia diferente.

    No livro temos um cientista que conseguiu modificar geneticamente algumas pessoas e essas pessoas tiveram a cor de seus olhos mudados, e também adquiriram poderes. Porém as pessoas "normais", acabaram ficando com inveja e mataram esse cientista, e depois disso o mundo acabou entrando em guerra, e a população é dividida em classes de talento. Se você tem os olhos verdes é um glorificador, se são violetas você é um vocalizador e tem outras classes, porém se você tem os olhos pretos você não possui nenhum talento a sua classe é a mais baixa. E visando ensinar as pessoas com poderes, foi criada uma escola na qual as pessoas que tem dinheiro podem treinar para tentarem ser a elite do país.

    A nossa protagonista chama-se Evangellyne, tem 17 anos e possui os olhos verdes, porém ela nunca apresentou nenhum poder, o que é bem incomum. Quando o vice-rei está passando pela cidade para levar as pessoas interessadas para a escola, ela acaba arrumando uma confusão e como consequência tem que fingir ser outra pessoa e ir para a Escola de Talentos, mesmo não querendo. E quando ela chega ao seu destino, descobre que as coisas não são bem o que aparentavam.

    Uma das coisas que eu mais gostei no livro, foi que o autor não deixa muitas pontas soltas, ele consegue explicar direitinho tudo o que está acontecendo, e a meu ver em nenhum momento ele correu em alguma situação. Ele segue um certo ritmo em boa parte do livro, mas quando o final está próximo ele joga uma bomba em nossas cabeças, eu fiquei bem surpresa com o final e mal posso esperar pela continuação.

    "A vida não foi feita para ficarmos um com raiva do outro. Devemos procurar a nossa própria felicidade e não a do outro. Pois é a nossa que nos move e nos faz sentir aquela sensação boa em relação a quem somos para transmitirmos o bem."

     Os personagens são fantásticos! A Evangellyne no inicio é uma personagem um tanto quanto impulsiva, mas no decorrer do livro percebemos que ela vai amadurecendo seu jeito de pensar. Os personagens secundários são ótimos, em especial a melhor amiga da protagonista, a Valete. Ela é bipolar, em um momento está conversando normalmente, e no outro está gritando. No inicio eu achei ela meio irritante, mas no decorrer do livro eu me apeguei a ela, e acabei até gostando do jeitinho dela.

    O livro como em todas as distopias possui um ou outro elemento clichê, mas se você o der uma chance, ira ver que ele vai se diferenciar das historia que você já conhece. E ele nos traz ensinamentos importantes como a importância da família, a honestidade, amizade, entre tantos outros. E também nos faz questionar a ordem social na historia, porque alguns tem tanto enquanto outros tem pouco?

    Apesar do livro ser grande a leitura foi fluida, as paginas são amareladas e as letras estão de um tamanho bom para a leitura, e isso colaborou muito com o meu envolvimento na historia.

    Eu gostei da capa, porém acredito que ela poderia ser mais chamativa. A diagramação por dentro está linda, e eu não encontrei nenhum erro de revisão.


    Editora: Novo Século
    Autor: Nicolas Catalano
    Páginas: 463
    Nota: 5/5

    Livro no Skoob


    Espero que tenham gostado.
    Um grande abraço e até a próxima.

    12 comentários:

    1. Me lembrou um pouco Divergente, se não me engano. Não li ainda, assisti ao filme. Também me questiono isso às vezes "por que alguns tem mais que outros?"... e gosto quando as histórias nos trazem essa questão. Me animei com a sua resenha e nem curto muito distopias.
      -Mari

      ResponderExcluir
    2. Que história interessante, achei bacana essa divisão dos poderes das pessoas e consequentimente de sua classe na sociedade. Mostra que apesar de ter alguns elementos clichês, o autor consegiu se diferenciar um pouco. Ahhh, também gostei de saber que a uma evolução na protagonista e que o livro mostra alguns ensinamentos, como dar valor a familia e a amizade. Acho isso super positivo no enredo por isso vou procurar saber mais sobre ele com certeza. O livro parece ser ótimo.

      bju
      http://ventoliterario.blogspot.com.br

      ResponderExcluir
    3. Olá, Giovana.
      Lembro que me interessei por esse livro quando vi ele na sua caixinha de correio. A capa é muito interessante e como amo distopias, acho que irei gostar desse. E ainda mais que você falou que ele se diferencia dos outros. Me interessei bastante e já quero saber o que a Evangellyne vai aprontar nessa escola. Outra coisa que adoro, livros que a história se passem em algum tipo de escola. Só não gostei de saber que não é livro único hehe.

      ResponderExcluir
    4. Oi Giovana, fico feliz em ver que você gostou bastante do livro, para falar a verdade eu não sou muito chegada em distopias, mas acredito que pelo que você falou desse livro eu daria uma chance a ele, quem sabe eu mudo minha opinião em relação a distopias :D

      Beijos

      http://www.oteoremadaleitura.com/

      ResponderExcluir
    5. Oi Gi, tudo bem??
      Amei a sua resenha!! Porque distopia é vida... e eu amo mesmo com todos os clichês, mas claro que não posso ser hipócrita em dizer que não adoro um diferencial, porque eu amo... é sempre bom algo mais original. Gostei muito do enredo desse com a mudança de cor dos olhos e a protagonista que parece não ter poder nenhum... curti de montão... xero!!!

      http://minhasescriturasdih.blogspot.com/

      ResponderExcluir
    6. Olá, Giovana

      Já li comentários muito bons sobre o livro e capa dele está perfeita! Ainda não tive a oportunidade de ler, mas espero que isso aconteça logo, estou mega curiosa sobre como o autor vai desenvolver essa distopia. Por algum motivo enquanto eu lia sua resenha me veio a mente A rainha vermelha, será que são parecidos em algum aspecto?

      Beijos,
      entreoculoselivros.blogspot.com

      ResponderExcluir
    7. Amiga olha primeiramente tenho que confessar que adorei a sua resenha, pois não sabia que esse livro se tratava de uma distopia. Já me interessei por conta disso e acho que vou tentar adquirir a obra pra fazer a leitura ano que vem, mas espero que o livro seja de uma leitura fácil e agradavel entende? Mas seilá, espero poder ter a chance de fazer a leitura. Já está indo para minha lista de desejados, pois sua resenha me conquistou. Eu ainda não tinha lido nenhuma resenha sobre ele e amei a sua =]

      http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2015/12/resenha-amor-amargo.html

      ResponderExcluir
    8. Oi Giovana.

      Este ano eu li alguns livros de Distopia e gostei muito porque era um gênero que não tinha muito conhecimento. Este livro eu não conhecia e gostei muito da sua resenha. Vou deixar anotada sua dica.

      Bjos

      http://historiasexistemparaseremcontadas.blogspot.com.br/

      ResponderExcluir
    9. Oie Giovana!!!
      adoro distopias, mas como todos os gêneros muito populares acabam que em certos momentos se tornam todos muito clichês. Tenho tido a sorte de só ter encontrado distopias que me deixaram encantadas até agora, mas passo essa raivinha com muitos outros gêneros queridos.
      bjs
      www.notinhasderodape.com.br

      ResponderExcluir
    10. Eu concordo com você sobre os caminhos das distopias, estão ficando clichês e cópias escrachadas. Espelhos dos olhos tem uma capa muito bonita e poética, confesso que compraria o livro pela capa hauhuahuhauha... Confio quando você diz que é diferente a narrativa, quando possível, lerei.

      ResponderExcluir
    11. Livros grandes não me assustam,muito pelo contrário,eu amo,ainda mais quando o autor não corre na narrativa e deixa tudo muito bem amarradinho. Eu amo distopias mas fico com o pé atrás com algumas,mas pela sua resenha essa é boa e vale a pena ler,em relação aos clichês,eu também adoro um bom clichê,a vida é chia deles não é mesmo??

      Vou procurar esse livro para ler...

      bjsss

      Apaixonadas por Livros

      ResponderExcluir
    12. Oii!

      Não conhecia esse livro, mas amei a sinopse!
      A sua resenha ficou muito boa e já anotei a dica para ler em breve :)

      Beijos, Amanda
      www.vicio-de-leitura.com

      ResponderExcluir