• Início
  • Resenhas
  • Críticas
  • Autores Parceiros
  • Vídeos
  • Contato
  • Resenha: Joyland


    Carolina do Norte, 1973. O universitário Devin Jones começa um trabalho temporário no parque Joyland, esperando esquecer a namorada que partiu seu coração. Mas é outra garota que acaba mudando seu mundo para sempre: a vítima de um serial killer.
    Linda Grey foi morta no parque há anos, e diz a lenda que seu espírito ainda assombra o trem fantasma. Não demora para que Devin embarque em sua própria investigação, tentando juntar as pontas soltas do caso. O assassino ainda está à solta, mas o espírito de Linda precisa ser libertado — e para isso Dev conta com a ajuda de Mike, um menino com um dom especial e uma doença séria.
    O destino de uma criança e a realidade sombria da vida vêm à tona neste eletrizante mistério sobre amar e perder, sobre crescer e envelhecer — e sobre aqueles que sequer tiveram a chance de passar por essas experiências porque a morte lhes chegou cedo demais.

    Um garoto com o coração partido no verão 1973, um parque de diversões e um mistério.

    Joyland é mais um livro do aclamado por muitos (quase todos creio eu) Stephen King, e eu como fã incondicional desse homem não posso falar muito sem parecer loucura de fã, mas ele arrasa em tudo que escreve e com Joyland não foi diferente.

    Esse não é um livro de terror que fique claro desde já, ele me parece mais um mistério policial com um dedinho só no sobrenatural bem de leve, quem não curte terror pode ler sem medo, temos um fantasma na historia, mais não é nada que te faça perder o sono e olhar embaixo da cama antes de dormir com medo.

    Como na maioria dos livros do King ele nos leva pra uma época diferente neste caso os anos 70, o que pra nós que não vivemos essa época é fascinante por si só, considerando que no meu caso os anos 90 foram bem diferentes.



    "Só posso dizer o que você já sabe: alguns dias são preciosos. Não muitos, mas acho que em quase toda a vida há alguns."

    Devin Jones começa nossa história como mais um universitário que trabalha, estuda e é inseparável de Wendy Keegan, seu grande amor, ou como eu chamo, a paixonite que todos temos um dia. Os dois estudavam e trabalhavam juntos na universidade mais nunca foram além de namoradinhos de escola no máximo, mas ele a amava.

    Tudo muda no verão de 73 quando uma amiga da Wendy anuncia que elas iriam para Boston trabalhar no verão em uma loja famosa em vez de continuar na biblioteca como todos os anos anteriores, apesar de tudo ele ainda acha que não perdeu seu amor.

    Com isso Devin arruma emprego em Joyland o parque de diversões com a maior roda gigante de todos a Carolina Spin, um emprego longe de casa mais que ele vai pelo dinheiro. Muitos dizem que o parque é assombrado porque anos atrás morreu lá Linda Gray, e dizem que seu espirito não está em paz, ele não acredita nisso e vai pra lá mesmo assim.

    Lá ele faz amizade com as pessoas do parque, e se encaixa bem lá o trabalho é pesado e com passar dos dias ele vai percebendo que Wendy já não se interessa por ele, com o coração quebrado ele mergulha na vida de parque e é ai que a história realmente começa.

    "Não entendo por que as pessoas usam religião para se magoar quando já existe tanta dor no mundo. A religião deveria reconfortar."

    Devin tem dois grandes amigos no parque que também trabalham lá no verão, Erin e Tom e eles entre um trabalho e outro começam a investigar o que aconteceu com Linda Gray. Devin também conhece Mike uma criança muito especial e entre tantos amigos ele vai levando a vida em Joyland.

    Erin é uma linda garota que vai trabalhar no parque como garota Hollywood, que são basicamente lindas garotas que ficam tirando fotos das pessoas no parque para vende-las.

    Mike tem uma doença muito séria e pouco tempo de vida e vive sempre sendo superprotegido por sua mãe Anne, por quem Devin acaba tendo uma queda.

    Já os funcionários do parque temos Lane Hardy o responsável pela Roda Gigante e aquele que está sempre próximo de Devin, temos também Madame Fortuna a cigana vidente que é por muitos desacreditada e o dono do parque um senhor misterioso mais que nutre um carinho por nosso personagem principal, além deles o cara carrancudo que cuida do trem fantasma que é tão assustador quanto o brinquedo, ou pelo menos é o que ele quer que pensem ,,, enfim os personagens são amplos e muito bem montados no livro você lê e parece estar vendo um filme em sua mente.   

    No fim do verão seus amigos voltam para as faculdades e ele continua trabalhando no parque por mais um tempo ... e é ai que toda a história se desenrola e vocês precisam ler pra descobrir...

    "Meu pai me ensinara, mais por exemplos do que por qualquer outra coisa, que, se um homem queria estar no comando da própria vida, tinha que estar no comando de seus problemas."

    Como todo livro do king ele é extremamente detalhado, os personagens, os lugares, os sentimentos e é impossível de se resumir isso sem quebrar o encanto da história mas confesso que fiquei viciada, comecei a ler sem muita expectativa mais logo nas primeiras páginas fiquei tão impressionada com o mistério da morte de Linda Gray quanto os personagens, e queria muito saber o que aconteceu, o que tornou o livro extremamente prazeroso e viciante daqueles que você vira a noite lendo.

    Pra quem nunca leu uma obra do autor, esse é um bom livro pra começar por sem intrigante, emocionante e envolvente, você conhece aquele mundo e torce pelos personagens é muito incrível as sensações que ele nos trás.

    Além de uma ótima história de suspense e uma capa linda por dentro ele é bem normalzinho padrão da suma de letras folhas amarelas, letras em tamanho bom (o que eu amo já que uso óculos muito forte e letras pequenas me torturam) são 239 paginas de puro amor por esse livro e se você não leu deveria pensar seriamente em por na lista porque vale a pena.



         Editora: Suma de Letras || Autor: Sthepen King || Páginas: 240 || Onde Comprar


    8 comentários:

    1. Estou com esse livro em casa para ler, peguei emprestado com um amigo e será minha próxima leitura! Amei sua resenha! Beijos

      ResponderExcluir
    2. Olá,
      Acredita que ainda não li nada do King?! Pois é, acho que pelo fato de não gostar muito de livros do gênero.
      Mas já quase me crucificaram por isso e eu já lancei como meta ler pelo menos uma obra dele esse ano! Adorei a dica e saber um pouco mais sobre os acontecimentos de Joyland. Sempre ouvi falar que ele realmente descreve muito bem as cenas, os personagens e creio que isso acrescente muito à obra e tenho certeza de foi difícil mostrar toda essa essência na resenha sem soltar nenhum spoiler.

      LEITURA DESCONTROLADA

      ResponderExcluir
    3. Eu nunca li nada do King, mas sei que ele realmente arrasa. Desde que "descobri" que esse livro não era terror já o coloquei na minha wishlist! Espero lê-lo em breve, pois amo histórias com mistérios , e escrita pelo King... Sei que será uma bela leitura!!Beijos do Wes ^^

      ResponderExcluir
    4. Parque de diversão são palcos de bons enredos de terror e suspense, ainda mais nas mãos do mestre King!
      Bjs Rose

      ResponderExcluir
    5. Oiii, Joyland foi meu primeiro contato com a escrita do King e confesso que me decepcionou um pouco o fato de o terror ficar meio velado. Mas é claro que esse é um de seus livros mais leves, chega a ser quase um drama e é claro que a escrita do autor é deliciosa e apaixonante. Ótima resenha. Bjs

      ResponderExcluir
    6. Adoro a escrita do King, e quero muito ler Joyland.
      Gostei muito da resenha.
      Beijos.

      ResponderExcluir
    7. Olá, tudo bem?
      Não me odeie, mas eu nunca senti a menor vontade de ler nada do Stephen King. Primeiro, porque não gosto de nada que se aproxime do terror (o que já elimina boa parte da obra dele hahaha). E, segundo, que já vi muitas pessoas falando que os livros dele são muito detalhados, como você mesma disse na resenha, principalmente os personagens e seus sentimentos. Acho que isso tornaria a leitura um tanto arrastada para mim.
      De qualquer forma, se algum dia eu resolver tentar conhecer a obra do autor, acho que esse é uma boa opção, por não ser um livro de terror.
      De qualquer forma, adorei a resenha!
      Beijos!

      ResponderExcluir
    8. Fico mega empolgada quando leio resenhas positivas sobre os livros do King. Por enquanto só li Carrie, A Estranha e gostei muito. Estou pensando em comprar e-books das histórias do King, já que a maioria de seus livros são bem grossos, exceção dos livros mais atuais. Quem sabe assim me empolgue e já já vire uma fã como vc!!?? Amei conferir suas impressões e sempre leio elogios a esse livro quem sabe o leia em breve. Valeu pela dica.

      Leituras, vida e paixões 📚😜💞

      ResponderExcluir